Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

PROPAGANDA ENGANOSA

Esta tática de venda não-ética, em que o consumidor é seduzido por um preço baixo somente para ser informado que aquela oferta especial não está mais disponível e ser direcionado a comprar um produto com preço mais alto, é muito comum no mercado de turismo.

Muitas ofertas em emails e em web sites, propaganda em jornais ou fax não solicitados que oferecem grandes descontos de passagens aéreas e de pacotes turísticos são verdadeiros, mas muitas ofertas de viagens também são fraudulentas e difíceis de serem distinguidas das ofertas verdadeiras. Tais ofertas falsas contêem custos escondidos (taxas não anunciadas e preços cotados na baixa estação), palavras ou frases de dupla interpretação ou cujo significado seja diferente ao que está escrito (vôo sem escala se chama nonstop flight, e não direct flight) ou informações incompletas, como não mencioná-lo que para ter direito a oferta de estadia gratuita no hotel você precisa comprar uma passagem de ida e volta.
Alguns falsos promotores, free-lancers e outros tipos de agentes embolsam o dinheiro dos consumidores sem vender o pacote turístico ou o bilhete aéreo, prometem acomodação e serviço de luxo, oferecendo “gato por lebre”, e agem de má-fé garantindo ao cliente o reembolso integral caso decida cancelar a viagem sem informá-lo sobre as condições para ter tal direito.

Tudo é fácil até a hora da compra. Após a compra, os seus conceitos sobre a agência começam a mudar enquanto você espera pelo estorno na conta do seu cartão de crédito de uma quantia que foi debitada duas vezes, ou aguarda um reembolso, ou uma reemissão e até o cancelamento de uma compra!

Você já teve a curiosidade de saber por que existem tantas tarifas baratas anunciadas?

Por que cada agência de viagens anuncia um preço diferente da outra?

Por que quando você vai comprar um bilhete aéreo, a tarifa exibida no site da agência de viagens não está mais disponível ou a classe do vôo já foi completamente vendida?
A última pergunta é consequência das perguntas anteriores. Você acha a tarifa promocional e agora você quer comprar o bilhete cuja tarifa não está mais disponível. Então você questiona o agente de viagens: “Por que o preço está ainda sendo anunciado na internet?”.
A resposta poderá ser: “A tarifa acabou agora. Alguém em nossa agência vendeu o último assento com esta promoção.” Esta resposta parece bastante convincente, mas nos bastidores das vendas no turismo, é uma mentira!
Existem muitas agências que anunciam na internet tarifas aéreas cuja validade de aplicação expirou, e existem outras que não atualizam estas tarifas exibidas em seus web sites apenas para não gastar dinheiro com os serviços de um webmaster.
Essa prática ilegal prejudica o consumidor porque ele deixa de negociar com um especialista em turismo que poderia lhe oferecer um bom preço, para negociar com uma agência que o engana ou o promete um preço que não existe, e depois, quando ele retorna a ligação para negociar novamente com aquele mesmo especialista que lhe cotou o preço anteriormente, ele é informado que perdeu a classe promocional do vôo porque a reserva não foi feita de imediato.
Resumindo: perde-se tempo e dinheiro! Não só por não conseguir comprar por telefone mas também porque essas agências bloqueiam em seus sites a compra online com cartão de crédito para não se comprometerem com o cliente com uma falsa oferta, mas que era real há alguns longos meses atrás.

Pode-se concluir que ver uma oferta em uma página na internet não significa garantia de preço. Além disso, qualquer site pode ser facilmente mudado sem fornecer provas de qualquer oferta enganosa anunciada. Por isso, deve-se conferir o que está sendo anunciado, saber o que está e não está incluído e se informar das condições da oferta de viagem antes de fechar a compra. Outros exemplos de propaganda enganosa que deve-se tomar cuidado na hora da compra são:
  1. Frases e o vocabulário de viagem utilizado no anúncio, pois o significado não é o que aparenta estar escrito. Por exemplo: “Você foi selecionado para receber nossa oferta de férias de luxo.”, não significa que você receberá uma viagem gratuita. Significa que você está recebendo uma oferta com uma oportunidade de pagar por uma viagem que se assemelhe a sua idéia de luxo. “Sujeito a disponibilidade”, significa que você poderá não conseguir a tarifa aérea ou a acomodação solicitada. A maioria das propagandas enganosas incluem esta frase como forma de justificar a recusa da venda de uma falsa oferta anunciada.
  2. Promessas de serviços extras conjugados com a compra das ofertas de viagens anunciadas. As ofertas podem ser verdadeiras, mas o serviço extra não. Algumas agências podem oferecer junto com a oferta cartões de desconto para serem usados dentro de Cruzeiros, redes hoteleiras, restaurantes e locação de carro por exemplo. Na realidade, essas agências que oferecem esse adicional ao cliente, não possuem controle algum sobre esses descontos. Somente o fornecedor do serviço ou produto é que pode oferecer ao cliente tal cortesia.
  3. Cuidado com quem você fala ao telefone. Você pode estar negociando com operadores de telemarketing que podem estar se passando por agentes de viagens. Operadores de telemarketing não têm responsabilidade com o cliente após a venda e os produtos e serviços que vendem são de procedência duvidosa. Eles dizem ser representantes do fornecedor do produto ou serviço e prometem algo que não podem cumprir, a não ser o débito no seu cartão de crédito.
  4. Não jugue uma agência de viagens pelo seu site. Sites com animação, videos, gráficos, ferramentas de consulta automática de preço online, não são garantia de que a empresa é estável ou que irá proteger o seu investimento. Lembra da falência da Soletur?
  5. Empresas aéreas low cost não são credenciadas pela IATA. Tais empresas como a FLY Linhas Aéreas, BRA, etc costumam seduzir os viajantes pelo preço. De fato, o preço baixo existe, mas o barato pode sair caro, pois:
  • As partidas e chegadas de seus vôos (geralmente 1 por dia) são em aeroportos regionais o que implica em gastos com táxi.
  • Os vôos não oferecem lanche nem alimentação a bordo, e quando oferecem é de baixa qualidade.
  • Não emitem bilhetes aéreos, e sim recibos de compra pela internet que não são reembolsáveis e nem endossáveis.
  • O seu cartão de crédito pode ser "clonado" por hackers que tentam rastrear suas informações confidenciais no momento da compra do bilhete nos sites sem segurança destas cias aéreas.
  • O horário de seus vôos não são regulares, ou seja, podem ser cancelados e marcados para o dia seguinte ou ter a partida adiada para mais de 6 horas devido o fato de possuírem, em certos casos, 1 ou 2 aviões , o que torna inviável reitinerá-los para embarcar os passageiros que tiveram seu vôo cancelado.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG