Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

PROMOTORES DE AGÊNCIAS DE VIAGENS vs EMISSORES DE PASSAGENS AÉREAS

Os promotores das agências de viagens estão ligados ao departamento comercial e os emissores de passagens aéreas, ao departamento operacional das agências de viagens. Não é estranho encontrar promotores se metendo nos departamentos alheios, dando ordens nos emissores para atenderem pedidos e favores de última hora dos clientes. Isso sem falar das vezes quando eles pedem aos emissores para fazerem trabalhos que são da sua responsabilidade, como esclarecer dúvidas de viagem.


Não há como negar suas intromissões, fazendo-se de chefes, delegando tarefas, qual emissor vai atender qual conta e passando por cima da autoridade do supervisor do departamento operacional. Chega uma hora que as coisas se confundem tanto, que não se sabe quem é seu chefe. Como dizem por aí: “Muito cacique para pouco índio!”

Em geral, lidar com promotores numa agência de viagens requer certos cuidados: eles podem te “derrubar” a qualquer momento, pois são o dedo-duro do patrão. São eles quem visitam os clientes e os perguntam como está o atendimento do emissor. Os promotores também prometem mundos e fundos ao cliente. Dizem a ele que se pode emitir um bilhete assim e daquele modo (fora da regra tarifária) e depois é o emissor quem tem que se virar para limpar a “caca” que os promotores fizeram. E o pior de tudo: quem acaba ficando bem na fita são eles e não você.

Mas um dia, eu dei o troco. Quebrei a crista do promotor que havia passado para o cliente uma planilha de bilhetes não utilizados pelos funcionários da conta que eu atendia. Ele havia enviado a planilha sem ter me consultado primeiro para conferir se as informações estavam corretas e aí, quando a recebi das mãos do cliente que me questionava sobre o valor dos créditos, eu então o contei que os valores estavam incorretos e que alguns bilhetes não eram válidos para serem reemitidos porque o trecho havia sido voado. O transtorno foi resolvido com o cliente e o promotor chamado a atenção pela gerência.

Nesse relacionamento PROMOTOR X EMISSOR, em termos de remuneração quem sai na vantagem é sempre o promotor. O promotor recebe um salário fixo + um percentual de 0.5% a 2% pelo volume de vendas da conta assistida. Já o emissor tem um salário fixo + comissão pelas emissões. Pondo as coisas na balança, um emissor consegue atender 3 contas de R$150 mil enquanto que um promotor pode gerenciar 10 contas ou mais de R$150 mil.

Ou seja, para o promotor, pouco lhe importa se a agência perder uma conta por falha do atendimento do emissor, pois ele ainda terá mais 9 contas. Porém, para o emissor, perder uma conta poderá significar sua demissão. Como uma agência vai manter um funcionário se não tem uma conta para ele atender?

Não abra a guarda para os promotores! Defenda sua conta! Seja arisco! Não confie nas palavras dos promotores: peça por email para ficar documentado o que eles dizem! Já vi amigos meus tendo que pagar ADM porque não tinham um email documentando a isenção da taxa de reemissão que o promotor disse que tinha sido isentada.

Por fim, além dos emissores ficarem ralando na agência depois da hora, os promotores vão sempre embora no horário deles. E nas sextas-feiras, chegam em casa mais cedo. Já reparou como existem promotores que agendam visitas com clientes nas sextas-feiras às 14hs e 15hs?

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG