Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

TARIFAS CORPORATIVAS vs TARIFAS WEB

Segue resposta padrão para justificar casos frequentes de clientes reclamando que a tarifa disponibilizada no self-booking da agência de viagem corporativa é mais cara do que as exibidas nos sites promocionais (Submarino, Decolar.com, etc).



Os sites de viagens como Decolar.com, Submarino Viagens, TAM viagens, entre outros, têm um foco exclusivo na pessoa física, ou seja, o público alvo não são as empresas, mas sim o consumidor. 

RISCO PARA O CLIENTE
Ao comprar passagens aéreas com tarifas web nos sites de comércio eletrônico, os clientes estão sujeitos a certas condições que não são informadas no ato da compra, como cobrança de taxas posteriores, ausência de direito de remarcação, proibição de solicitação de reembolso, canal exclusivo de atendimento (SAC), etc. Por essas razões, podemos encontrar diversas ações contra essas empresas nos âmbitos judiciais.   

RISCO PARA A EMPRESA
Ao ignorar o uso de um sistema, ou até mesmo de uma agência para a gestão de suas viagens com tarifas corporativas, as empresas, além de não obterem garantias de qualidade nos serviços oferecidos aos viajantes, estão também deixando de usufruir de vantagens competitivas na gestão das informações, conforme a seguir:
  1. Melhoria nos processos de viagens através do uso de tecnologias BI (Bussiness Intelligence), 
  2. Facilidade ao acesso às informações, 
  3. Agilidade e personalização no atendimento, 
  4. Vantagens competitivas no mercado, 
  5. Controle de orçamento,  
  6. Organização de procedimentos, 
  7. Implementação de política de viagens, 
  8. Acesso a relatórios de compra, 
  9. Cotações em tempo real via self-booking ou mobile,
  10. Histórico de viagens,
  11. Salas VIPs nos aeroportos e assistência a embarque e desembarque,
  12. Controle de reembolso de bilhetes.
Assim sendo, sites de comércio eletrônico, como Decolar.com, não podem servir de parâmetro de comparação com as tarifas corporativas, as quais por sua vez estão sob a gestão de um conjunto de práticas positivas que promovem a redução dos gastos de viagens como um todo.

Referente à diferença de preços de uma cotação com tarifa corporativa e outra com tarifa web, podemos dizer que:
Passagem aérea não tem preço fixo! Os preços tem uma lógica completamente diferente de outros serviços. Por exemplo: num voo dentro do Brasil é possível ter pessoas que pagaram R$ 59, outras que pagaram R$ 150 e ainda outras que pagaram R$ 300. Todas elas vão receber exatamente o mesmo serviço e isso é assim no mundo todo.

O que acontece é que a companhia aérea divide o avião em vários pedaços (conjuntos de poltronas) e as passagens de cada grupo desses pedaços terão preços diferentes.

Além desses grupos de poltronas as companhias também têm as classes tarifárias. Normalmente o serviço prestado será o mesmo independente da classe tarifária, o que muda são algumas “regalias”, como a possibilidade de mudar a data da passagem sem precisar pagar mais ou receber mais milhas por voo. Mas na hora da viagem todos vão ali, um ao lado do outro.

Por estranho ou injusto que se pareça, é isso que permite as ofertas de passagens aéreas bem baratas e muitas promoções!

Três exemplos de como funcionam as promoções de passagens aéreas:

1 – Pega-se um bloco desses e determina-se um valor. 
Olhando a imagem acima, uma empresa pode pegar o bloco 3 que custa R$ 99 e colocar por R$ 49. Nesse caso, quando vender as passagens desse grupo os preços irão para R$ 259.

2 – Aplicação de desconto sobre todas as tarifas. 
Nesse caso, todas as tarifas do voo terão desconto e à medida que uma tarifa for esgotando, você poderá comprar na tarifa imediatamente mais cara mas com  desconto. Isso é o que ocorre, por exemplo, com os códigos promocionais (promo codes).

3 – Promoções passageiras de tarifas web que só podem ser ofertadas pelo fornecedor. 
Lembra daquela promoção da volta por R$ 1,00? Esse tipo de oferta relâmpago não acontece toda hora e somente é ofertada pela própria cia aérea. O problema é que é do tipo viaje na data marcada ou perca o bilhete e se alterar a data ou até o horário do voo, o valor da diferença de tarifa + a taxa de reemissão deixará a tarifa mais cara do que se a passagem tivesse sido emitida por uma agência de viagem com tarifa corporativa.

CONCLUSÃO

Para o mercado corporativo, a compra de passagens aéreas com tarifas promocionais em sites de cias aéreas e de comércio eletrônico não compensa quando se trata de emissões em grande quantidade pois a economia proporcionada pelas tarifas corporativas é percebida desde a maximização do tempo dos funcionários da empresa até ao processo final de emissão dos relatórios de viagem.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG