Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

COMO SEU CARTÃO DE CRÉDITO É PROTEGIDO DOS HACKERS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS

Quem trabalha com vendas precisa ter a preocupação de ter sua principal ferramenta de vendas (PC) protegida contra vírus, spywares, e outras ameaças para garantir ao cliente que os dados do seu cartão de crédito estarão protegidos contra hackers.
Repare, que as pessoas que se sentem inseguras em comprar pela Internet com seus cartões de crédito, se esquecem que ao fazerem uma compra por telefone ou até pessoalmente em uma agência de viagens, estarão também comprando pela Internet! Só que, tendo um agente de viagens intermediando essa compra, inserindo seus dados num programa, sistema ou formulário na Internet que gerará a informação da compra diretamente ao fornecedor do serviço.
Que garantias ou certeza o cliente tem que o PC desse agente de viagens não tem um spyware instalado ou se está protegido contra essa e outras ameaças de hackers por um bom firewall e programas de segurança?
No turismo, as vendas são processadas por meio de um GDS (Global Distribution System) que abre uma conexão segura com o escritório da agência de viagens por meio de uma VPN (Virtual Private Network). É através desta ferramenta de reservas e emissão de bilhetes aéreos e vouchers que são inseridos os dados do cartão de crédito para a emissão de passagens aéreas.

Outra forma que as vendas, também são efetivadas, é por meio de login direto no site do provedor do serviço. Por exemplo: com as locadoras de carro, as agências preenchem seus dados de acesso para então emitir o voucher da reserva pela Internet.
A segurança é igual ou similar ao dos sites de banco, tanto que alguns destes fornecedores (TravelGuard.com, por exemplo) além de abrir uma VPN, exibem selos de segurança no próprio site, enquanto outros sites exibem o tradicional cadeado fechado na barra do Windows: símbolo de segurança e proteção no comércio eletrônico.
Os hackers sabem que não têm como capturar os dados dos cartões de créditos inseridos em VPNs e por outros métodos confiáveis de proteção, e por isso, buscam outras formas de conseguirem essas informações sendo o principal alvo de seus ataques, os servidores de emails.
Por essas razões, solicite serviços de viagens por email ou chat, mas quando fizer a compra, faça por telefone. Ao dizer os dados do cartão de crédito, ao agente de viagens, é assim que eles serão gravados na reserva do passageiro após serem digitados diretamente no GDS da agência de viagens.

Notou como os primeiros 12 números do cartão são alterados pela letra X?

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG