Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

INQUÉRITO CONTRA A VIA BRASIL

Fonte: O Estado de São Paulo, 23/JUL/2002

Dezesseis pessoas já foram ouvidas no inquérito policial aberto pela Delegacia Especial de Atendimento ao Turista de São Paulo(Deatur) que investiga possível crime contra o consumidor praticado pela empresa aérea Via Brasil. Se ficar comprovado que houve má fé por parte da empresa, os responsáveis poderão pegar até cinco anos de prisão.
Atuando no segmento de vôos fretados há aproximadamente dois anos, a Via Brasil suspendeu as atividades desde o último domingo, depois de ter sua única aeronave, um Boeing 727-200, retida pelo Departamento de Aviação Civil (DAC), no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio, devido a problemas de falta de manutenção e documentação. Como a empresa não tem acordos com outras companhias, a troca de bilhetes tornou-se difícil, e só vem acontecendo com a interferência das agências que venderam as passagens.
Em comunicado distribuído ontem ao passageiros que tentavam localizar o guichê da Via Brasil, no Aeroporto de Cumbica, o DAC informava que as exigências, como a apresentação do comprovante de manutenção anti-corrosiva da fuselagem, não tinham sido cumpridas e por isso o avião permaneceria retido.
Especilizada em vôos para o Nordeste, a Via Brasil tinha como principal atrativo os preços baixos. Uma passagem ida e volta para Fortaleza custava R$ 600,00. O mesmo trecho sai por R$ 960,00 na Varig. Pela Vasp, R$ 900,00 - o mesmo que a Tam.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG