Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

PREÇOS BAIXOS SÃO SEMPRE O MELHOR NEGÓCIO?

Existem muitas agências por aí exaltando as palavras: experts, especialistas e consultores... Como que seus agentes de viagens fossem realmente os melhores. Mas a prática mostra o contrário: são poucos os que sabem comparar os benefícios de uma tarifa aérea para direcionar seus clientes a compra da passagem com a tarifa mais vantajosa, não somente em relação ao preço, mas também quanto ao perfil da viagem e às regras da tarifa.




A seguir, mostro 3 exemplos reais (pesquisados em Agosto, 2006) quando preço não é o ponto mais importante quando se está negociando a compra de um bilhete aéreo:

I - VISANDO O PERFIL DA VIAGEM

SITUAÇÃO 1
“Você está viajando de Miami para Los Angeles para participar de um torneio de surf. Tanto a American Airlines quanto a United Airlines tem a mesma tarifa aérea. Qual delas você escolheria para viajar considerando que você está carregando uma mala e uma prancha de surf cujo tamanho e 274cm e o peso e 25kg?”

RESPOSTA CORRETA: Você deve viajar com a American Airlines porque a política de prancha de surf da United Airlines é 276cm para o tamanho e 22kg de peso máximo para não pagar taxa de excesso e peso. Você pode até viajar com a United, mas você terá que pagar duas taxas: uma de US$ 80.00 devido está carregando uma prancha de surf e outra de US$ 25.00 devido o excesso de peso. Com a American Airlines, você pagará US$ 80.00 apenas para levar sua prancha de surf como bagagem!

SITUAÇÃO 2
“Peça a um agente de viagem para fazer uma reserva para você viajar para Londres. Diga, também, que você irá levar seu poodle na cabine. Qual resposta você espera ouvir dele?” 

RESPOSTA CORRETA: Desculpe... Mas nenhum tipo de animal é aceito para viagem para o Reino Unido. Eu posso somente vender o bilhete aéreo para você viajar sem o cachorro.

SITUAÇÃO 3
Você tem uma reunião urgente depois de amanhã em um resort no Cairo e liga para uma agência de viagens para reservar um vôo na classe executiva para você viajar hoje do Rio de Janeiro. Você é brasileiro e não está vacinado contra a febre amarela.

“O agente de viagens o perguntou se o seu certificado de vacinação foi emitdo com 10 dias de antecedência da data da viagem, ou ele simplesmente fez a reserva e lhe pediu o número do cartão de crédito para emitir o bilhete aéreo sem avisá-lo sobre a exigência desta vacinação para o Egito?”

SITUAÇÃO 4
“Seus dois filhos viajarão sozinhos no trecho New York/Johannesburg/New York. Um deles tem 4 anos e o outro 11 anos. Você liga para uma agência de viagens para checar qual cia aérea é a mais barata: American Airlines ou South African, e depois pede ao agente para fazer a reserva para você comprar os bilhetes aéreos. Você acha que fez um bom negócio?”

RESPOSTA CORRETA: Com certeza, não! Para começar, American Airlines somente aceita menores com menos de 5 anos se eles estiverem viajando com um acompanhante de viagem que tenha no mínimo 15 anos de idade enquanto que a South African exige que o acompanhante tenha 16 anos. Logo, a criança de 4 anos terá seu embarque negado no aeroporto. Somente o irmão mais velho terá permissão de viajar. Neste caso, American Airlines cobra uma taxa de US$ 60.00 por direção ao contrário da South African. Não existe desconto para criança viajando como menor desacompnhado. A tarifa aérea aplicada é a mesma da que um adulto pagaria.

Como você notou, cada cia aérea e país tem sua própria política de viagem. Algumas delas são mantidas em segredo no que se refere à taxas cobradas no aeroporto. Estas taxas escondidas não são reportadas abertamente para os viajantes nos sites das cias aéreas devido a competição de venda de bilhetes aéreos com outras cias aéreas no mercado de viagens.

Quando as taxas não são um problema, os viajantes enfrentam outros obstáculos que poderão se tornar em uma grande restrição de viagem devido a não-apresentação de documentos requeridos para mulheres grávidas e menores desacompanhados para viajar, ou serviços necessários não requeridos pelo agente de viagens para assistir passageiros debilitados a bordo, como por exemplo: informação à cia aérea de maca, cilindro de oxigênio, cadeira de roda na cabine, assistência a passageiros cegos e surdos viajando com cão guia, etc.

Os viajantes são pegos neste tipo de armadilha quando seduzidos por preços baixos ou mal-assistidos por agentes de viagens inexperientes. Nunca compre um bilhete sem antes ter certeza da política de viagem de uma cia aérea ou de um país.


II - VISANDO A REGRA TARIFÁRIA DO BILHETE


Suponhamos que você esteja planejando uma viagem para renovar o visto no Consulado Americano no Rio de Janeiro ou para visitar esta cidade como turista. Qual destas opções (*valores pesquisados em AGO2004) oferecidas pelo agente de viagens você compraria o bilhete?


OPÇÃO 1 – VALOR COM TAXAS:
 US$ 580.00
OPÇÃO 2 – VALOR COM TAXAS:
US$ 618.00
Compra de um bilhete integral de Miami para o Rio de Janeiro no dia 4 de Março com stopover no dia 7 de Março em São Paulo e retorno no dia 12 de Março para Miami.

RG8819 W 04MAR MIAGIG    730P  815A
RG8922 W 07MAR GIGGRU   735P  835P
RG8818 W 12MAR GRUMIA  1155P 600A
Compra de dois bilhetes: um integral de Miami para o Rio de Janeiro no dia 4 de Março e retorno de São Paulo no dia 12 de Março para Miami...

RG8819 S 04MAR MIAGIG    730P 815A
RG8818 S 12MAR GRUMIA 1155P 600A

...e outro bilhete doméstico separado do trecho internacional: RG8922 H 7MAR GIGGRU 735P 835P
A base tarifária da VARIG: WLXNTGR1, permite stopover e por isso é possível emitir o trecho completo em um só bilhete.
A base tarifária da VARIG: SMIANET, não permite stopover e por isso é necessário vender separadamente o trecho RIO/SAO PAULO.

O que faz um expert oferecer a melhor tarifa ao seu cliente é também a comunicação que há entre eles. Sem esse diálogo, ele não há como saber quais as circunstâncias que o seu cliente está realizando a viagem e então não poderá direcioná-lo a melhor oferta de compra. Os pontos mais importantes para direcionar um viajante a fazer a melhor compra de uma passagem aérea, são:

ISENÇÃO DE TAXA DE REEMISSÃO POR PROBLEMAS MÉDICOS
A maioria das tarifas isentam a cobrança de multa por mudança de data caso o passageiro e o/a acompanhante de viagem necessitarem cancelar a viagem por problemas médicos. Tanto a opção 1 quanto a opção 2 possibilitam esta facilidade.

MILHAGEM
A opção 2 seria a pior escolha pois a classe S não credita milhas no programa de milhagem da VARIG. Muitos frequent flyers preferem pagar um pouco mais e acumular milhas do que perderem esse benefício.

TAXA DE REEMISSÃO
Suponhamos que após a compra do bilhete você tenha algum problema no Consulado Americano ou que você esteja gostando muito da sua estadia nesta cidade e que, por algumas destas razões, você seja obrigado ou deseje estender o seu período de estadia no Rio de Janeiro do dia 7MAR para 10MAR. Isto acarretará em uma reemissão o que implicará na cobrança de multa para mudar a data do trecho doméstico.

Nestas condições, a tarifa mais barata será a mais cara porque a multa de reemissão da opção 1 é de US$ 100.00, totalizando o valor final de US$ 680.00. A multa de reemissão do trecho doméstico da opção 2 é de US$ 11.40, totalizando o valor final de US$ 629.40. Resumindo: se você escolher a tarifa mais cara a sua economia será de mais de US$ 50.00!

REEMBOLSO
Quanto mais barato o bilhete, mais restritivo ele será. No quadro de opções exibido acima, as bases tarifárias WLXNTGR1 e SMIANET da VARIG são referentes às tarifas de consolidador, cuja regra do bilhete restringe o reembolso do valor do bilhete. Se a opção 1 fosse calculada como tarifa publicada na base tarifária da TAM WLUS1M cujo valor com taxas é US$ 761.50, o passageiro teria como vantagem o direito de solicitar o reembolso da passagem menos a multa de reembolso cobrada pela TAM (que custa 10% do valor do bilhete) em caso de desistência da viagem.

Considere também, que quando você compra um bilhete aéreo reembolsável você está automaticamente eliminando a possibilidade de comprar um seguro viagem para não correr o risco de perder este bilhete se você precisar cancelar sua viagem. Seguros Viagens são somente recomendáveis para viajantes que compram bilhetes reembolsáveis se eles estiverem interessados principalmente na cobertura médica.

STOPOVER
Uma tarifa barata pode não incluir free stopovers, como na opção 2. Somente o bilhete internacional (sem o trecho RIO/SÃO PAULO) custa com taxas US$ 510.00 se emitido com a base tarifária SMIANET. Embora a opção 1 seja mais cara (comparando com essa nova condição), ela ainda assim é a melhor escolha por permitir uma parada gratuita em São Paulo. A opção 2, como já vimos anteriormente, só é a melhor escolha caso haja a necessidade de reemitir o bilhete do trecho doméstico com uma data diferente da original.

III - VISANDO O PREÇO DO BILHETE
Deixe-me falar agora dos airpasses, que é um programa para os turistas ou os passageiros da mesma nacionalidade do país visitado, desde que residam fora dele. Os airpasses são um tipo de pacote de tarifas aéreas cujo preço é baseado pelo número de cupons emitidos (quando o passageiro está fazendo múltiplas viagens domésticas, como o Star Alliance Brazil Airpass), ou pelo número de milhas voadas (geralmente quando o passageiro está fazendo múltiplas viagens internacionais, como Mercosur Airpass). Podem também ser uma mistura dos dois, como o airpass OneWorld Visit South America.

Existe um mito de que os airpasses são mais baratos do que as tarifas vendidas pela cia aérea dentro do país visitado. De fato são, desde que esteja visitando mais do que duas cidades muito distantes uma da outra. Portanto, neste caso, o preço é levado mais em conta do que a regra da tarifa do bilhete aéreo. Veja a comparação abaixo:
  • Um Brazil Airpass com 1 a 4 cupons custa sem taxas US$ 399.00. Se o passageiro desejar comprar um bilhete de ida e volta RIO DE JANEIRO/BELO HORIZONTE/RIO DE JANEIRO, a tarifa mais indicada é a publicada no valor de US$ 242.00, com taxas incluídas.
  • Se o passageiro desejar um bilhete PORTO ALEGRE/BUENOS AIRES/PORTO ALEGRE, ele irá pagar por uma tarifa publicada com taxas US$ 247.50. Logo, a venda de um Mercosur Airpass com a mesma rota custando com taxas US$ 273.50 será também inviável.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG