Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

VÍTIMAS DE INTOXICAÇÃO DO CRUZEIRO MSC CHEGAM AO RIO DE JANEIRO

Os 390 passageiros que foram vítimas de intoxicação e passaram mal a bordo do navio MSC Sinfonia desembarcaram na manhã deste sábado, no pier da Praça Mauá, no Rio.
O drama dos passageiros continua. Dois deles, uma dona de casa e um menino de 14 anos, precisaram desembarcar de cadeira de rodas porque ainda estavam passando mal. A mulher foi levada de ambulância para a Clínica São Vicente.
Eles começaram a passar mal, neste sábado, pouco antes do desembarque. A filha da dona de casa, que também passou mal durante a viagem, e um outro passageiro pensam em processar a MSC Sinfonia.
Ela disse que teve dificuldades para socorrer a mãe porque funcionários do navio não teriam ajudado a pedir a ambulância do Píer Mauá.
Todos reclamaram do caos no atendimento por causa da grande quantidade de pessoas doentes e disseram que nunca mais viajariam pela emrpesa. A Anvisa fez nova vistoria na embarcação hoje, pela manhã, mas o laudo só deve sair em uma semana.
Transtornos de viagem
A embarcação ficou retida em Salvador para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pudesse fazer uma vistoria, já que muitas pessoas haviam relatado vômito, diarréia, febre, dores de cabeça e abdominal.
A embarcação passou por inspeção sanitária e alguns problemas foram detectados como o excesso de teor de cloro na água servida aos passageiros e na conservação de alimentos perecíveis. A conclusão do laudo vai depender de análises em laboratório.
A MSC informou que o fornecimento de água potável foi suspenso, e os passageiros passaram o resto da viagem bebendo apenas água mineral. A empresa se comprometeu também a compensar os passageiros pelo transtorno sofrido.
Segundo a Anvisa, se ficarem confirmadas todas as denúncias com relação ao cruzeiro, os donos da empresa podem ser multados de no mínimo, R$ 2 milhões.
Caos no mar
O surto de gastroenterite que atacou quase 400 dos dois mil passageiros do navio MSC Sinfonia, pode não ter sido o primeiro.
Passageiros que estiveram na mesma embarcação em cruzeiro realizado entre os dias 4 e 12 de dezembro último, no trajeto Ilha Bela-Punta Del Leste, disseram que muitas pessoas também passaram mal durante a viagem.
Segundo a guia de turismo Rosângela Queiroz Schnaider, 53 anos, cerca de 50 passageiros teriam procurado a enfermaria com os mesmos sintomas apresentados agora: vômito, febre, diarréia e dores intestinais.
“Era muita gente passando mal e vomitando nos corredores do navio, eu cheguei até a perder a consciência. A enfermaria estava cheia, tinha mais de 50 pessoas, com certeza. Eles falaram que era normal passarmos mal, por causa do balanço. Mas agora acho que tem alguma coisa de errado, porque aconteceu no mesmo navio e com trajetos diferentes, é muita coincidência”, disse Rosângela.
No site de relacionamentos Orkut, diversas páginas relacionadas a cruzeiros do MSC Sinfonia relatam alguns casos parecidos, ocorridos em datas diferentes.
A assessoria de imprensa da MSC, no entanto, informou que não tem conhecimento de sintomas semelhantes ocorridos em outras viagens, mas promete investigar as reclamações.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG