Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

ANÁLISE DE COMO SÃO FORMULADOS ALGUNS PACOTES TURÍSTICOS

Os pacotes turísticos podem ser divididos em 6 categorias. Dependendo de como o pacote for formulado, ele terá um destes perfis focado para o público que se pretende atingir.
 
1) BUSINESS: para executivos, funcionários de empresas e palestrantes que viajam a serviço para participarem de eventos, congressos, reuniões de negócios, feiras de exposição e viagens de incentivo.
2) CULTURAIS: para turistas com interesses acadêmicos voltados para programas de visita aos patrimônios históricos da humanidade tombados pela UNESCO, com interesses em intercâmbios, em conhecer museus ou a história, a geografia e os costumes de um lugar.
3) ECOLÓGICOS: para turistas com interesses em programas com atividades de lazer e de esportes praticados na natureza.
4) FÉRIAS: para turistas com interesses em programas com atividades de entretenimento em parques de diversões, esportes em ginásios e estádios, lazer e festas populares. Pode-se também incluir nesta categoria os clientes que viajam em lua-de-mel.
5) GLS: para turistas com interesses em programas direcionados ao público homossexual em cidades e hotéis gay friendly, cuja vida noturna seja agitada e que as atividades sejam realizadas principalmente no verão.
6) RELIGIOSOS: para turistas com interesses em programas com excursões a cidades, mesquitas, igrejas, santuários e templos sagrados das religiões católicas, protestantes, islâmicas, hinduístas e budistas. É comum esse tipo de turismo ser feito mais em grupo do que individualmente. Muitos grupos religiosos se formam com a presença de um padre, pastor ou rabino com o intuito de celebrarem um culto nos lugares santos visitados.

Pode-se muitas vezes fazer um pacote turístico religioso envolvendo parte de um roteiro cultural + um roteiro ecológico, mas nunca agregá-lo a excursões GLS cujo perfil do público e interesses são diferenciados. Os pacotes turísticos formatados podem ser estruturados das seguintes formas pelas operadoras de turismo receptivo:

1) PACOTES TURÍSTICOS PERSONALIZADOS
Freqüentemente os clientes se interessam por um pacote turístico já pronto, porém desejam fazer algumas alterações como por exemplo: alterar uma cidade no roteiro de uma excursão por outra, diminuir o número de dias ou aumentar sua permanência de dias em uma cidade, incluir atividades que não estão incluídas no pacote, ou solicitar mudança no tipo de acomodação do quarto ou até mesmo de hotel!

Outras vezes, os clientes solicitam ao agente de viagens que crie um pacote com um tema específico por não terem encontrado nenhum pacote parecido. Exemplo: criar um pacote para degustadores de vinho que estão viajando para a Europa. Quais cidades na Europa poderiam oferecer tal atrativo com esse interesse particular? Que outras atrações poderiam ser incluídas neste pacote além da degustação de vinho nestas cidades?

Quando algumas destas situações ocorrem, temos o que chamamos de personalização de um pacote turístico. Eles são formulados a partir da alteração ou adição das reservas de hotéis, traslados e city tours vendidos individualmente por uma operadora de turismo receptivo. Neste caso, cada serviço tem um preço que somados se transformarão em um pacote turístico personalizado. Por isso não se prenda à criação de um pacote turístico apenas com a passagem aérea + a reserva de hotel. Ponha o “recheio”: traslados, city tours e outros serviços para que possam satisfazer aos interesses e orçamento do cliente. Pacotes turísticos formatados já têm dias, atividades e preços definidos. Ao serem alterados, eles são personalizados de acordo com o interesse e orçamento do cliente.

2) MINI PACOTES TURÍSTICOS

São pacotes turísticos já prontos de 2 a 3 noites voltados para conhecer uma única cidade. É o oposto dos pacotes turísticos personalizados. Suas programações se concentram apenas em uma cidade, sem aquela correria dos roteiros de excursão em que cada dia o turista está em um lugar diferente sendo obrigado a seguir uma seqüência de visitas sem ter muitas vezes a tarde livre para praticar atividades de interesse próprio e de interagir mais tempo com os habitantes e as atrações ao seu redor. Esses pacotes podem ser usados também como extensões de outras excursões.
Outra razão que atrai o interesse de turistas pelos mini pacotes e pelos pacotes personalizados, é a garantia do potencial turístico da cidade incluída nele. Quando se compra pacotes turísticos formatados com roteiros já determinados, o turista fica em dúvida sobre as atrações de tal cidade porque algumas vezes elas entram no roteiro de um pacote como pernoites estratégicos, ou por serem passagem obrigatória para uma outra cidade, ou porque o grupo precisa fazer uma parada para almoçar durante o deslocamento para a próxima cidade.

3) PACOTES TURÍSTICOS COM ROTEIROS ROTATIVOS
São pacotes que permitem ao turista iniciar a excursão terrestre em qualquer cidade que esteja no roteiro fixo da excursão, sem custo adicional. Por exemplo: seu cliente comprou um tour na Europa para visitar as seguintes cidades: GENEBRA > VENEZA > ROMA > SIENA > FLORENÇA > GÊNOVA.

Caso ele deseje interromper esta excursão em Roma, para fazer um tour particular em uma outra cidade na Itália como Nápoles ou para visitar uns amigos que moram nesta região, ele poderá, desde que retorne para o mesmo ponto em que sua excursão foi interrompida para embarcar na próxima excursão rotativa que passar por Roma e poder então dar seqüência a visita das outras cidades incluídas no roteiro da excursão.

4) PACOTES TURÍSTICOS COM EXTENSÕES DE EXCURSÃO
É o inverso dos roteiros rotativos. As extensões de excursão são tours adicionais pré-pagos pelo cliente como forma de estender o período de uma excursão que ele já comprou com a agência de viagens. Por exemplo: você vendeu para o seu cliente o seguinte pacote de 8 dias para ele visitar a Espanha e a França de acordo com a programação do roteiro abaixo:

1 MAIO
2 MAIO
3 MAIO
4 MAIO
5 MAIO
6 MAIO
7 MAIO
8 MAIO
Madri
Toledo
San Sebastian
Zaragoza
Toulouse
Chartres
Versalhes
Paris


Este pacote de 8 dias poderá ser estendido por mais 4 dias em cada capital se seu cliente escolher uma das extensões de excursão abaixo:
• Partindo de Madri: visita as cidades de Granada, Sevilha e Córdoba além dos típicos povoados da Galícia e a Costa Cantábrica.
• Partindo de Paris: visita ao Vale do Loire para conhecer os castelos franceses e as praias da Normandia.

Quando se faz uma extensão de um pacote antes do início da excursão ou após o seu final, esta parada não aumenta o custo do pacote comprado pelo cliente, exceto é claro o próprio preço da extensão que estará sendo cobrado. Todavia, quando se faz uma extensão durante uma excursão, cujo roteiro não é rotativo, muitos operadores receptivos cobram uma taxa adicional por cada parada, referente ao traslado do trecho em que a excursão original foi interrompida.

5) PACOTES TURÍSTICOS ENVOLVENDO ROTAS FLUVIAIS E FÉRREAS
Na Europa, nos Estados Unidos e cada vez mais na Ásia, crescem os roteiros que incluem cruzeiros fluviais e viagens de trem. Tais rotas percorridas por estes meios de transporte incorporam ao pacote um diferencial na viagem do turista por proporcioná-lo a sensação de deslumbrar lindas paisagens associadas à comodidade no deslocamento da viagem. O conhecimento da localização dos portos fluviais e das estações ferroviárias é essencial para montar:
• Extensões aéreas para se chegar e partir do ponto mais próximo de embarque e desembarque dos portos fluviais e das estações de trem.
• Extensões terrestres para criar excursões nas cidades próximas ao desembarque no porto ou na estação de trem.

Um pacote turístico no Egito é um bom exemplo da formulação de um pacote baseado na rota operada pelos Cruzeiros no rio Nilo e na viagem de trem. Veja:
1o. DIA – Traslado do aeroporto do Cairo para o Pharaoh Egypt Hotel.
2o. DIA – Extensão da excursão à Giza e Sakkara para conhecer as pirâmides e a Esfinge.
3o. DIA – Viagem noturna de trem de Giza à Aswan.
4o. DIA – Viagem de Cruzeiro no Rio Nilo de Aswan à Edfu, onde está a cidade de Abu Simbel construída pelo faraó Ramsés II.
5o. DIA – Continuação da viagem de Cruzeiro no rio Nilo de Edfu ao Templo de Luxor.
6o. DIA – Dia livre em Luxor para conhecer o Vale dos Reis, onde Tutankhamun foi enterrado.
7o. DIA – Retorno de avião ao Cairo, partindo de Luxor.
8o. DIA – Traslado do Pharaoh Egypt Hotel para o aeroporto do Cairo e fim dos serviços.

Analisando a formulação do pacote acima, percebemos que se trata de um pacote receptivo (cujo vôo internacional ao Egito não foi incluído) e que a excursão inicia-se e termina 1 dia depois após a chegada dos turistas ao hotel para que eles possam ter tempo de descansar da viagem e da visita aos pontos turísticos.

6) PACOTES TURÍSTICOS EM TRILHAS FIXAS
Existem excursões que são realizadas em rotas de peregrinação religiosas e em trilhas de travessias. Tais trilhas tornaram-se tão conhecidas que foram incorporadas aos pacotes turísticos das operadoras de viagens devido o roteiro da excursão já está parcialmente formulado, bastando à operadora da excursão adicionar apenas as facilidades para o turista durante o seu percurso: paradas em hotéis, almoço em restaurantes, visitas a museus e a outros pontos turísticos das cidades que ficam no roteiro ou próximo à trilha. Entre elas, podemos enumerar:

a) TRAVESSIA DO ESTREITO DE GIBRALTAR: a travessia pode ser feita de avião, mas a grande atração turística é fazê-la de barco em um moderno ferry que parte de Algeciras, na Espanha e chega em Tangier, no Marrocos.

b) TRAVESSIA ÍNDIA-NEPAL: por serem países montanhosos, o transporte terrestre acaba sendo uma opção obrigatória se a cidade de partida na Índia for Sonnauli e o destino no Nepal for Katmandu. Embora existam vôos de Delhi para Katmandu, muitos turistas aventureiros preferem fazer a rota terrestre com 18 km de percurso e 9 horas de viagem devido ao espírito de aventura e as belíssimas paisagens ao longo da rodovia.

c) CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA: os 800 quilômetros do trajeto seguido pelo apóstolo Tiago, da França até o local de seu túmulo, na Espanha, podem ser cumpridos a pé, de bicicleta ou de carro. A rota mais tradicional é o Caminho Francês que sai de Saint Jean-Pied-de-Port, no sul da França, passa pelos Pirineus e chega a Santiago de Compostela, na Espanha. O Caminho do Norte, com 468km, inicia-se em Urquera e acompanha todo o litoral espanhol. O Caminho Português pode iniciar de Lagos, Faro ou Tavira passando por várias cidades de Portugal. A Rota de Prata, com 934km, parte de Sevilha. Para peregrinos idosos e deficientes físicos que não podem fazer a caminhada, existe a possibilidade de percorrê-la de carro ou desembarcar de um Cruzeiro em Vigo, Espanha, que é a cidade mais próxima de Santiago de Compostela.

d) VIA CRUCIS: a Via Crucis percorre as sinuosas ruelas da Cidade Velha de Jerusalém, Israel, e tem seu início a partir do Convento Ecce Homo estendendo-se até à Basílica do Santo Sepulcro. É o caminho tradicional que Jesus percorreu carregando a Cruz desde o Pretório (sala de audiência do tribunal de Pôncio Pilatos) na (fortaleza) Antônia e vai até a colina do Gólgota, lugar da crucificação.

Tais trilhas em pacotes turísticos são propriamente a grande atração da viagem e por isso são inalteráveis. Existem trilhas com diferentes níveis de dificuldades niveladas de acordo com:
Altitude do percurso – quando a trilha for em montanhas.

Temperatura – calor em excesso (quando a trilha for no deserto) ou quando a trilha for em geleiras (frio em excesso).

Distância – quando a trilha exige um maior preparo físico para ser percorrida dentro de um prazo de tempo determinado para se chegar a um certo ponto de pernoite.

Idade das pessoas que farão a trilha.

Meio de transporte utilizado para fazer a trilha.
Por serem de grande interesse para turistas e em alguns casos, de necessidade para se atravessar de uma região para outra por não haver transportes aéreo e marítimo, certos cuidados devem ser observados na preparação dos roteiros com estes programas:

Como chegar ao ponto de partida?

Qual a melhor época do ano para fazer essas trilhas?
Algumas delas no Nepal são inacessíveis no inverno devido serem bloqueadas pela neve.

Quais os hotéis mais próximos do ponto de partida e ao longo do caminho para pernoitar?
O ideal quando se programa um pernoite em uma cidade que está ao longo do roteiro, é escolher uma cidade que tenha o maior número possível de atrações turísticas para o turista conhecê-la durante sua estadia. Porém, em trilhas como a Via Crucis, não há hotéis nem pousadas ao longo do percurso. Neste caso, o turista acaba tendo que pernoitar distante da trilha e a escolha do hotel mais próximo dela é essencial para os turistas mais idosos e deficientes físicos.

Analisar a possibilidade de criar extensões na excursão que inclui essas trilhas no pacote turístico.
Por exemplo: a Via Crucis é um circuito relativamente pequeno. Excursões com guias são essenciais a sua realização para informar aos turistas sobre as 14 Estações que estão distribuídas ao longo de seu caminho bem como as capelas, conventos e monastérios abertos a visitação. Cada estação relembra um acontecimento com Jesus Cristo. Por ser uma trilha pequena que pode ser percorrida em menos de 1 dia, a inserção de extensões no pacote turístico torna-se necessária para despertar no turista os atrativos turísticos como a visita ao Santo Sepulcro, ao Muro das Lamentações, a Igreja da Natividade, bem como visitas a Jerusalém, Belém e Nazaré.

Agendamento de datas de partida para formar grupos de caminhadas/expedições.
Algumas trilhas (expedições) só são possíveis de serem percorridas se for em grupo.

7) PACOTES TURÍSTICOS ENVOLVENDO CIRCUITOS ESPORTIVOS E DE ESQUI NA NEVE
Existem fãs de certos esportes como Fórmula 1, golf e tênis que acompanham o cronograma destes torneios realizados nos países que estão no roteiro dos campeonatos esportivos. Em relação ao esqui na neve, o seu circuito de competição ou de alta temporada, é baseado exclusivamente nas estações de inverno de cada país. Saber quando a temporada de esqui se inicia em Vale Nevado (Chile), Bariloche (Argentina), Aspen (USA), e em outras estações de esqui na Europa e Ásia para a prática deste esporte por turistas e esportistas, é o primeiro passo para iniciar a formulação de um pacote turístico envolvendo esses circuitos.

Os detalhes de venda que devem ser informados num pacote de esqui são:
Tipo de acomodação: lodging ou quarto dentro de um hotel com aquecedor, cozinha, banheiro, etc.

Refeições incluídas.

Lift tickets para locomoção no parque de esqui.

Traslado para todas as áreas de esqui e montanhas: considere também o traslado do aeroporto/hotel/aeroporto.

Informação de aluguel de equipamentos de esqui e de snowboard incluídos no pacote: muito útil para quem não quer pagar excesso de bagagem para a cia aérea.

Tipo de terreno: existem pistas de esqui apropriadas para vários níveis de esportistas desde iniciantes a profissionais. Um parque de esqui pode reunir vários tipos de níveis de pistas, mas a outros que só disponibilizam as pistas mais perigosas (radicais) devido a topografia muito íngrime do terreno e que portanto são mais indicados para aqueles esportistas mais experientes. O grau de inclinação para um esquiador descer uma pista de esqui com segurança em uma montanha é de 35 graus.

Número de pessoas: muitos pacotes de esqui exigem um número mínimo e máximo de pessoas. Parte desta exigência é para baratear os custos do pacote, principalmente quando envolve hospedagem em um lodge.

Antecedência para reserva: o mesmo que prazo de reserva pois os hotéis mais procurados são aqueles que ficam dentro das estações de esqui, e tais hotéis além de exigir um número mínimo de estadia ainda estipulam um prazo para o pagamento da mesma para a garantia da reserva do hóspede.

Seguro viagem com cobertura de esqui.

8) PACOTES TURÍSTICOS ENVOLVENDO PARQUES TEMÁTICOS
Em algumas cidades, o parque de diversão é a maior atração turística da cidade. No Brasil, há parques temáticos como o Beach Park, em Fortaleza e Beto Carrero World, em Santa Catarina. As atrações nestes parques são tantas que 1 ou 2 dias é muito pouco para curtir todas elas. Imagine então se o pacote envolver parques temáticos na Universal Studios ou no maior e mais famoso deles: Walt Disney World.

Vender pacotes turísticos envolvendo parques temáticos não requer conhecimento das atrações turísticas de uma cidade, e sim das atrações e facilidades disponibilizadas pelo parque. Isso é mais essencial do que conseguir uma tarifa aérea barata para o cliente. O agente de viagens que vende pacotes turísticos envolvendo parques temáticos deve prestar atenção a certas particularidades tão comuns a tantos outros a começar pela reserva de hotéis que não incluem almoço e janta em suas diárias. Mesmo que o hóspede pague mais, ele estará ainda economizando dinheiro, pois uma vez no parque ele não voltará ao hotel (que está localizado fora e longe do parque) para almoçar e jantar devido a imensa variedade de restaurantes e lanchonetes no local. Em suma, os pontos a serem estudados por um agente de viagens que pretende trabalhar na venda de pacotes neste segmento são:
1. Atrações do parque.
2. Descrição das atrações do parque e seu tempo de duração.
3. Hotéis localizados próximos e dentro do parque temático.
4. Tipos de bilhetes de entrada (admission media).
5. Regras e restrições de cada tipo de bilhete de entrada

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG