Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

PROPAGANDA ENGANOSA EM SITES DE AGÊNCIAS DE VIAGENS

ADecolar.com, conhecida na TV por veicular comerciais estrelados por celebridades como as atrizes globais Giovanna Antonelli e Deborah Secco, está sendo acusada de propaganda enganosa por oferecer passagens aéreas mais baratas que o preço real dos produtos. Nesta quarta-feira (17/4), a empresa terá de comparecer à audiência no Ministério Público de São Paulo para dar explicações sobre a propaganda em que faz ofertas de passagens aéreas que não refletiriam o preço final dos produtos.

Explicações
A Decolar.com foi chamada a se explicar após ser envolvida num inquérito cível instaurado em 2011 na 2ª Promotoria de Justiça do Consumidor, contra as empresas Viajanet (TVLX Viagens e Turismo Ltda.) e B2W Viagens e Turismo Ltda. Em sua defesa, uma das empresas citou as peças de propaganda da Decolar.com como exemplo de que era  ‘praxe de mercado’ não informar o valor da tarifa acrescido de encargos e taxas. Assim, a Decolar.com foi incluída no processo como investigada.

Em outra frente, a empresa de comércio eletrônico responde a acusações semelhantes no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) apresentadas pela CVC, a maior agência de viagens e turismo do País. Além de questionar a veracidade dos preços de pacotes turísticos em anunciados rádio, TV e jornais pela Decolar.com, a CVC questiona também a alegação de liderança de mercado apresentada na campanha, sem comprovação. Segundo a CVC, uma busca no site da concorrente mostrou preços bem maiores do que os apresentados nos anúncios - um deles era 328% superior.

Conar
No processo, julgado em novembro do ano passado, o Conar determinou a alteração na publicidade veiculada pela Decolar.com, por considerar que o valor efetivo das passagens aéreas (incluindo taxas de embarque e serviços) não estava apresentado de acordo com o recomendado pelo Anexo N do Código de Publicidade. A empresa também terá de esclarecer de forma mais precisa a liderança aludida em seus comerciais.

Em sua defesa, a Decolar alegou que os preços dos pacotes variam conforme a data selecionada pelo usuário e que comercializou numerosos pacotes pelos preços anunciados. Quanto à alegação de liderança, a empresa disse que não considera a CVC como concorrente direta, pois esta é uma empresa de turismo tradicional, enquanto a Decolar.com atua exclusivamente através do e-commerce.



Fonte: Revista ISTO É DINHEIRO, 16ABR2013 

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG